Boletim das emergências nos hospitais públicos em Chapecó

Boletim das emergências nos hospitais públicos em Chapecó

Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira, entidade filantrópica que administra o Hospital Regional do Oeste, e, Hospital da Criança, ambos em Chapecó, informa a seguir, a situação das emergências nas duas unidades entre as 12 horas do dia 22, até as 12 horas de hoje dia 23 de outubro. Em ambos pronto socorros dos hospitais, o fluxo de atendimento é feito de acordo com a gravidade dos casos, a partir da classificação de risco que é feita com cada paciente que chega. Entre as maiores queixas apresentadas pelos pacientes ainda estão quadros de diarreia e vômito, cujo surto vem sendo investigado pelos serviços de Vigilância Epidemiológica do Município de Chapecó e do Estado de Santa Catarina.

Até o final desta manhã, a emergência do Hospital Regional do Oeste (HRO), estava atendendo 26 pessoas (53% a mais que o mesmo período anterior), porém nenhum caso grave. Nas últimas 24 horas, o HRO recebeu, na Emergência, 531 pessoas (36% a mais que o mesmo período anterior), em busca de atendimento, tanto ambulatorial quanto de urgência ou emergência. Nas últimas 24 horas foram atendidos dois pacientes vítimas de acidente de trânsito, e uma pessoa por queda de altura. O quadro geral no HRO de Chapecó é de 274 pacientes internados (47% a mais que o mesmo período anterior), para um total de 293 leitos disponíveis.

Já no Hospital da Criança (HC) havia na emergência até o final desta manhã, nove pacientes em observação. Na sala de espera para consulta havia 14 crianças (23% a mais que o mesmo período anterior). Todas as crianças devidamente acompanhadas por pais ou responsáveis. Somente nas últimas 24 horas foram atendidos no HC 282 pacientes pediátricos (33% a mais que o mesmo período anterior), entre a faixa etária de zero a 12 anos, 11 meses e 29 dias. O quadro geral do HC de Chapecó é de 14 pacientes internados (19% menos que o mesmo período anterior), de um total de 24 leitos disponíveis.

Em ambas unidades hospitalares de Chapecó, cerca de 92% dos casos que chegaram à emergência foram ambulatoriais, ou seja, são situações que podem ser resolvidas nos postos de saúde. Por isso, a orientação é para que a população procure os centros de saúde dos seus municípios. Os postos de saúde ou pronto atendimento tem em seus quadros profissionais que estão aptos a atender corriqueiros, como por exemplo, pequenos curativos, quadro febril não agudo, dores pouco intensas e/ou patologias dessa natureza. Para casos mais graves, as equipes de profissionais das unidades ambulatoriais farão devido encaminhamento para os hospitais.

  • COMPARTILHAR