Boletim das emergências nos hospitais públicos em Chapecó

Boletim das emergências nos hospitais públicos em Chapecó

Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira, entidade filantrópica que administra o Hospital Regional do Oeste, e, Hospital da Criança, ambos em Chapecó, informa a seguir, a situação das emergências nas duas unidades nas últimas 24 horas, nesta terça-feira, 22 de outubro. Em ambos pronto socorros dos hospitais, o fluxo de atendimento é feito de acordo com a gravidade dos casos, a partir da classificação de risco que é feita com cada paciente que chega.

Nesta terça-feira, 22, até o final desta manhã, a emergência do Hospital Regional do Oeste (HRO), estava atendendo 17 pessoas já em leito de observação. De acordo com informações junto ao Pronto Socorro (PS) da instituição, havia dois pacientes em estado grave. Nas últimas 24 horas, o HRO recebeu, na Emergência, 389 pessoas em busca de atendimento, tanto ambulatorial quanto de urgência ou emergência. O quadro geral do HRO de Chapecó é de 255 pacientes internados, para um total de 293 leitos disponíveis.

Já no Hospital da Criança (HC) havia na emergência até o final desta manhã, 12 pacientes em observação. Na sala de espera parta consulta havia 27 crianças devidamente acompanhadas por pais ou responsáveis, as quais já com sinais vitais aferidos. Somente nas últimas 24 horas foram atendidas no HC 211 pacientes pediátricos entre a faixa etária de zero a 12 anos, 11 meses e 29 dias. O quadro geral do HC de Chapecó é de 16 pacientes internados, de um total de 24 leitos disponíveis.

Em ambas unidades hospitalares de Chapecó, cerca de 85% dos casos que chegam à emergência são ambulatoriais, ou seja, são situações que podem ser resolvidas nos postos de saúde. Por isso, a orientação é para que a população procure os centros de saúde dos seus municípios. Os postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão aptos a atender situações de urgência, que são aqueles em que a pessoa não corre riscos de morte. São casos, por exemplo, de febre e dores generalizadas. Para casos mais graves, as equipes de profissionais das unidades ambulatoriais farão devido encaminhamento para os hospitais.

  • COMPARTILHAR