HRO e HC implantam diagnóstico precoce de infecção grave

HRO e HC implantam diagnóstico precoce de infecção grave

De acordo com o médico infectologista do Hospital Regional do Oeste (HRO) e Hospital da Criança (HC), Hugo Noal, nova rotina fora implantada para maximizar procedimentos em pacientes que estiverem em quadro grave, tendo como resposta redução de mortalidade. O novo protocolo tem por objetivo qualificar os serviços, com participação de todos os médicos do corpo clínico das duas unidades, serviço de enfermagem e acadêmicos de Medicina na Unochapecó.

O corpo clínico do HRO e do HC já está em fase de treinamento e supervisão para diagnosticar com maior antecedência possível quadros de infecções graves. “Com esse novo protocolo buscamos uma resposta mais rápida para o tratamento de casos graves dessa natureza, proporcionando maior sobrevida de pacientes nesse estado”, antecipa o médico infectologista Hugo Noal. Para coordenadora do curso de Medicina da Unochapecó, médica Aldarice Pereira da Fonseca, adotar novas medidas para diagnóstico de infecções, representa “qualificar o serviço e o aprendizado dos acadêmicos de Medicina da instituição”. Pondera a coordenadora ainda que “este é início de novos protocolos para residência médica”.

O novo protocolo para diagnóstico precoce de infecção grave é resultado de ações conjuntas capitaneadas pela Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira, filantrópica que administra os dois hospitais públicos em Chapecó, com efetiva participação do corpo clínico e enfermagem de ambas unidades, bem como acadêmicos do curso de Medicina da Unochapecó. A união de esforços tem por objetivo aprimorar ainda mais ações pró ativas na qualidade dos serviços prestados tanto no HRO como no HC, bem como possibilitar aos estudantes de Medicina acessarem conhecimento específico tão logo iniciem atuação numa unidade hospitalar.

  • COMPARTILHAR